25 de fevereiro de 2016

Só os fortes sobrevivem
diziam os mais velhos
e eu
desatenta aos sinais
regava as flores
no quintal imenso
da memória.
O disco na vitrola
o ultimo poema de Bukowsky
o ator que ninguém lembra
o nome
naquele filme de amor
incompreensível.
Só os fortes sobrevivem
diziam as mensagens
nas tardes de aniversário
cinzentas
da nossa infância.
Talvez a gente esqueça
que é preciso polir as pedras
mas evitar que elas caiam
silenciosamente
sobre nossas cabeças.
Eu e minhas flores
e o pó das pedras,
paciência.
Anne Cerqueira
Fev. 2016

Nenhum comentário: