8 de março de 2010

A vila

A vila onde morei logo após o fim do meu primeiro casamento era um charme. Poucas casas, todas pintadas de branco com janelas coloridas. Por fora elas pareciam menores do que realmente eram. Gostava que as pessoas se surpreendessem com isso e ainda podia arrumar os móveis de um jeito bem bacana. Também tinha a vantagem de ficar perto da casa de minha mãe, o que ajuda bastante nestas horas.
Acho até que sentiria falta de lá se não fossem alguns detalhes: o arquiteto solteiro que morava do meu lado e que adorava dar altas festas durante a semana (nos fins de semana também). E uma criatura que sempre reagia quando eu parava prá ouvir a Loreena Mckennitt. Juro que não era alto. Tanto não era que se a gente ouvisse qualquer outro artista ela não ligava. Mas quando era a Loreena, a vizinha imediatamente colocava música religiosa estrondando. Chegou um tempo em que eu só ria, não dava nem mais prá levar a sério.



e uma das minhas favoritas ever:

8 comentários:

Lélia Maria disse...

Loreena Mckenit é cantora da Nova Era? Só pode ter esta explicação pra ela tentar "combater" com música religiosa.

Caminhante disse...

Vizinhos: capazes de transformar qualquer paraíso num purgatório.

Lyeah disse...

Feliz Dia Internacional da Mulher!!! Uma Grande Beijoca, linda!!!

a véia do blog disse...

A musica do primeiro video dá pra montar um balé contemporaneo da hora amiga, né não Caminhante?

Belos e Malvados disse...

Muito bem, projetos surgindo :D Bjos Heydi.

Lucila disse...

Uma sessão nostalgia tipica canceriana??
Ps:. passo depois.
rsrsr

Belos e Malvados disse...

p/Lu: "Uma sessão nostalgia tipica canceriana??"

Pois é, um dia este blog vai se chamar "Confesso que vivi". rsrsrs

Lia Sergia Marcondes disse...

Faz tempo que não ouço Loreena... puxa! Vou até pegar os discos na gaveta pra ouvir amanhã de manhã. Adoro "All souls night", mas as minhas preferidas são as baseadas em mitos famosos: "The Bonny Swans", "The Highwayman" e "The Lady Of Shalott".

Beijocas!