10 de dezembro de 2008

Diário...

Eu que reluto tanto em sair de casa, ainda mais sozinha, fui à rua antes que fique impossível de tanta gente. Então choveu e quase não parou mais. A cidade, de repente, era outra: com suas fragilidades expostas.
Eu não. A mesma, tropeçando nas pedras.

3 comentários:

A Spinola disse...

A cidade... molhada que nem a gota! e nóis trupeçando e arrancando pedras. coitado do transito e das carçadas.
Bjs sem ódio!(hehehe)

Lélia Maria disse...

tropeçando nas tuas ou nas das ruas?

Anne disse...

P/Lélia: Em todas. E foi bem uma semana de muitas delas.

P/Augusto: Beijos sem ódio para você também (risos).