19 de janeiro de 2009

Se a Débora quer que o Gregory peque...

Desconfio que estou com fixação nessa coisa de idade, visto que é o terceiro post sobre o assunto que escrevo nos últimos dias. Mas não é que a Natália do Vale parece mesmo conservada no formol? E arrisco até dizer que ela está bem melhor hoje do que há vinte e sete anos, quando estrelou Final Feliz, aquela novela bonitinha da Ivani Ribeiro, que tinha as praias do Ceará como cenário e "Flagra" da Rita Lee na abertura.
Algum de vocês lembra?
A Natália fazia par romântico com o Wilker, mas a Lídia Brondi e o Buza Ferraz roubaram totalmente a cena. Dois sumidíssimos.
Falando nisso, no youtube tem uma entrevista da Lídia contando que já noticiaram tanto a morte dela, que nem se assusta mais. E que no fundo, no fundo, esse também é um jeito de ser lembrada. Bom jogo de cintura, Lídia. Savoir-faire puro.

4 comentários:

Caminhante disse...

Ixi... fui ver pra ver se lembrava da novela mas ultrapassa minhas lembranças. Mas a música eu conheço e gostava muito.

Lélia Maria disse...

eu estava falando exatamente isto com mainha hj, que natália do vale está melhor hoje do que em mulheres apaixonadas, e olhe que em 2003 ela estava um arraso.
não acompanhei final feliz, só tinha 06 anos na época.
beijocas

teo disse...

E falam que vida de artista global é difícil... difícil é a vida das mulheres comuns que trabalham com carteira de trabalho assinada e não por contratos! e neste caso, envelhecer pouco vem de conteúdo genético. Nós, mortais mal temos tempo para uma cirurgia plástica... elas, entre uma novela e outra, são alguns meses de dedicação à si.
eu já aprendi a admirar a beleza das rugas...
bjs Teo

Anônimo disse...

Passando por aqui...
Beijo
Lucila