29 de janeiro de 2013

A cantada

O menino era inexperiente nos assuntos amorosos e confundia atração com truculência. Atirava bola de papel na garota, colocava o pé para ela tropeçar e cair,  riscava o caderno enfeitadinho dela, um horror. 
Uma dia se encontraram por acaso no clube da cidade. A menina tentou fugir assim que o viu, mas não teve tempo. Levou um esbarrão tão grande da criatura que acabou caindo na  piscina. Não sabia nadar, quase se afogou. Mas a situação chegou mesmo a um ponto extremo quando ele decidiu parar de agir e resolveu falar. Uma vez, antes da aula.
Ele:
- Você faz parte de uma roda de samba?
Ela:
- Oi???
Ele:
- Você faz parte de uma roda de samba? Não? Deveria. Com esse pandeirão...

3 comentários:

Caminhante disse...

Hahahahaha! Infeliz é pouco para definir as abordagens dele!

debondan disse...

Muito bom!!! Seria o Joãozinho? bjo

Belos e Malvados disse...

Por incrível que pareça, Denise, não é piada. A criatura existiu de fato e o caso se deu dessa forma.