9 de fevereiro de 2011

"Go ahead, make my day"


Nunca gostei do Clint Eastwood. Nunca. Jamais. Nem como ator, diretor, nada. Mas alguma coisa nessa foto me comoveu bastante. Achei digna.

14 comentários:

Mariana disse...

"O tempo, êsse canalha"...mas o olhar, continua o mesmo...

Borboletas nos Olhos disse...

E eu, sempre. Como ator, quando nos faroestes, nunca Dirty. Como diretor, pela honestidade, firmeza, verdade emocional na condução das cenas (a não ser neste Além da Vida que me soa insípido). E esta foto, UAU! Quem envelhece com tal dignidade e força no olhar terá sempre minha admiração. Beijocas (uffa, divergimos enfim, já estava achando que meu destino era assentir, rsrsr)

Leonardo Xavier disse...

Eu vou discordar, Clint Eastwood é o melhor diretor de todos os tempos.

Mariana disse...

Também gosto muito dêle, de qualquer jeito, em qualquer posição(ator ou diretor, claro),rs.

Lucila disse...

Gosto dele!!

Lucila disse...

Sei porque vc gostou da foto:
Ela tem poesia!! A poesia dá sentido a tudo!
Bejos, mamys, amOOO!

Assis Freitas disse...

assisti ao Gran Torino e fiquei mais que comovido, acho que o tempo fez muito bem ao Clint, além disso ele é um baita músico de blues. Assista PIANO BLUES, faz parte de uma coletanea chamada Uma Viagem ao Mundo dos Blues, produzida por Martin Scorcese.

beijo

HG disse...

Agora divergimos... Eu adoro!!! Sempre!

P.S.: Adorei também o layout!

Patricia Scarpin disse...

Eu gostava dele como diretor até ele trabalhar com a Angelina ECA Jolie.

Shuzy disse...

A imagem é sim comovente. Acho que não há melhor palavra do que a que escolheste: Digna!

maria de fatima disse...

Ninha, veja como são as coisas....
sempre admirei o trabalho dele, quer seja como ator, diretor.... e
ele tem uma tremenda sensualidade.

Lélia Maria disse...

ele sempre me faz lembrar de As Pontes de Madison, amei este filme.

teo disse...

Ele não é um gênio... Mas demonstra uma evolução como ator-diretor dificil de encontrar no cinema americano. Eu acho que o segredo dele como diretor é deixar o ator bem a vontade na expressão das emoções com a escolha certa de boas histórias

Maria do Carmo Vieira disse...

Deve ser a experiência, que tá na cara! rs rs