29 de março de 2011

Apesar de ser a pessoa mais desatenta do mundo, o reconheci na hora. Até hoje a familia dele mora na mesma rua onde passei a  infância e a adolescência. Ele era um dos mais velhos da turma e se mudou para São Paulo depois da morte da mãe, há muito mais de vinte anos. O reencontro foi aqui em Feira de Santana, numa fila de supermercado. Sábado à tarde, maior correria e eu fazendo a tradicional cara de paisagem enquanto avaliava se deveria me aproximar ou não, porque essas situações podem ser super constrangedoras. Visualizem a cena hipotética. Eu perguntando:
- Lembra de mim?
E a criatura:
- Quem?
- Belas...
- Belas de onde?
Tuuurummm pishhh !
Bom, eu estava considerando essas bobagens todas quando o ouvi checando com o irmão:
- Aquela é a Belas?!  É, né?
Depois da afirmativa, ele veio, me abraçou na maior simpatia e disse, como é de praxe, que eu não tinha mudado nada.
(A boa educação manda falar isso, eu sei,  mas sempre acho essa frase tão estranha. Quase como ignorar a ordem natural das coisas. Ou vai ver que ouvi muito Belchior na vida. John, o tempo, esse-fela-da-mãe, andou mexendo com a gente sim. Oh, yes, oh yes. E não digo nem da aparência. Foi então que percebi o seguinte: às vezes você se distancia tanto do que já viveu que parece andar por ai usando memórias alheias).

9 comentários:

Leonardo Xavier disse...

Eu confesso que fico assim, meio sem jeito nessas situações. Eu acho que outro gafe é quando alguém fala com a gente e você não lembra quem é o sujeito...

maria de fatima disse...

Fiquei curiosa, eu sei quem é? pois pior do que eu para gravar nomes ou rostos tá dificil!vc está bem! e ainda se queixa, quanto ao continuar a mesma realmente não foi possivel, melhoramos muito!rrsrsrsrs

Belos e Malvados disse...

Melhoramos, né Fau? Graças a Deus. Kkkkkkkk

Lélia Maria disse...

ou em vidas paralelas.

hipervitaminose disse...

Eu geralmente não lembro das pessoas, minha memória é terrível! E ainda bem que a gengte muda pra MELHOR nessa vida! HUAHUAHUAHUAHUAH...

eusoqueriadizer disse...

As vezes, não me estranhe, eu não gosto mto desses encontros casuais com pessoas de mto tempo atrás...
É um misto de timidez, insegurança, sei lá...

Mas sim, concordo com vc... Esse negócio de "vc não mudou nada" não me agrada tb...

Bjusss

Maria do Carmo Vieira disse...

É, tb acho que só falam isso por pura delicadeza. Nós mudamos, principalmente por fora. Bjus!

A Spínola disse...

Mudar, não mudar... bem ouço dizer que não mudei muito... Sempre fico pensando: Me conhece pouco... rs.

Belos e Malvados disse...

Pois é, Augusto. Juro que também penso isso.