7 de março de 2011

Oito de março, dia da mulher. Não me mandem flores.

A empresa onde trabalho mudou o plano de saúde e a clínica que eu costumava frequentar foi  descredenciada. Voltei lá muito tempo depois, em outra troca de plano. A primeira coisa que a atendente fez foi atualizar minha ficha no computador.
- Casada, não é dona Belas?
- Não, divorciada...
- Ainda mora em tal lugar? (um bairro classe média-mais-ou-menos da cidade).
- Não, estou em outro endereço....( um bairro popular).
A criatura largou o teclado, olhou para mim e disse:
- Tá vendo quanta diferença faz um divórcio?!
E riu. Eu não.

20 comentários:

Caminhante disse...

E o que ela esperava, que você voltasse atrás? É a vida...

Belos e Malvados disse...

Caminhante, nunca me arrependi um minuto. O engraçado é que na época em que isso aconteceu, eu tinha dois empregos e ganhava relativamente bem. Fui para o bairro mais afastado do centro em busca de sossego. Claro que não expliquei isso a ela.

Mariana disse...

Invasiva, a criatura.
Não sei o que eu lhe responderia, mas sei que me aborreceriacom a cara de pau da sujeita.

Mariana disse...

Não sei se meu comentário chegou, Anne, mas achei essa criatura uma abusada.

Borboletas nos Olhos disse...

Nem eu.

Lélia Maria disse...

esta pessoa perdeu A oportunidade de ficar calada. que pessoa involuída! ah, este papo de flores no dia das mulheres é um saco. bj

Assis Freitas disse...

posto que vós sois, as flores e os espinhos estão no dia/adia, neste cotidi/ano de muitos recomeç/ares


beijo

Belos e Malvados disse...

Assis, um beijo e obrigada pelos versos lindos.

Maria do Carmo Vieira disse...

Ela só não sabe que a diferença foi pra melhor, né "Belas". Bjus pelo Dia Internacional da Mulher! rs rs

Belos e Malvados disse...

Ela ignorou a relação custo/benefício, Maria. Beijos para você também.

Mariana disse...

Nossa, parabéns prá você, Anne, e prá suas amigas do blog, pelo dia de hoje...merecemos, não é?
Ah, Anne, covardia seria não considerar êsse custo/benefício. Parabéns!

Leonardo Xavier disse...

Sinceramente, eu detesto esse tipo de gente que acha que pode julgar a sua felicidade pelo seu estado civil ou vizinhança.

Belos e Malvados disse...

Obrigada, Mariana :D

Eu também, Leo. Pode apostar.

Lucila disse...

Concordo com Leonardo. Por causa disso mandarei uma maniçoba via sedex para ele... rs!

M.W. (@daconito) disse...

Gente, q bundona....
Vai viver infeliz num bairro nobre...
Ai gente, revoltei. O_O

Danielle Martins disse...

Nem eu (2, 3, 4...)
Fico indignada com a falta de respeito das pessoas.

maria de fatima disse...

Ninha, vc sempre encontra pessoas deste tipo n é? mediocres. Mas liga n o importante é que vc é feliz!

Belos e Malvados disse...

Fau, acho que quando a gente foge dos padrões fica meio sujeito a este tipo de coisa. Ou vai ver que dou "sorte". Beijos.

Ellie disse...

Quê?

Passa o tempo e sempre temos a nunca inédita oportunidade de ficarmos surpresas quanto a falta de noção das pessoas, ou melhor, do quanto parece ser comum intrometer-se na vida alheia. Caramba, viu.

Minha terapeuta fala que é sempre bom responder essas coisas com uma cara de "não entendi" ou simplesmente não rir, como vc fez.

8 de março é um dia de babaquices inúmeras, só acho legal mesmo pq é meu aniversário e ponto.

Querida, desculpe pelo hiato, mas depois de mil mudanças estou de volta. :)

Belos e Malvados disse...

Ellie!!! É bom tê-la de volta querida. Estava sentindo sua falta. (Quanto ao dia da mulher, acho que a data deveria ser de reflexão e não prá gente receber flor em posto de gasolina, enfim).
Um abraço grande.